Inovação: haja cafeína para tanta ideia!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

novação é um tema muito amplo e para mim, inovar não significa, necessariamente, criar algo do zero. Esse, aliás, é um dos pensamentos mais comuns que as pessoas têm quando o assunto caminha para “empreendedorismo” ou start-up. 

Inovar também pode ser entendido como “dar um sentido novo”, fazer uma releitura de algo, apresentar um produto ou serviço de uma maneira diferente ao comum e com isso, gerar valor para seu público. Esse ciclo de gerar valor na Caffeex começa na fazenda, com a dificuldade do produtor achar uma contraparte para seu café, um problema compartilhado por outros elos da cadeia como comerciantes, cooperativas e exportadores. Não é raro um desses players reclamar que está difícil comprar/vender seus lotes. Nós ajudamos os clientes, entre outras coisas, a distribuir lotes no mercado!

Para mostrar que inovação cabe em várias frentes, separei aqui algumas iniciativas interessantes com a temática “Cafeicultura”.

The Coffee
A proposta dessa cafeteria é única. Inspirada no mercado japonês, onde espaços são limitados e tecnologia é um canal para tudo, os fundadores criaram uma versão minimalista de uma cafeteria com produtos simples, atendimento tipo do yourself, e muita qualidade. O resultado é uma experiência única em atendimento e entrega de produto premium, que tem conquistado os clientes que querem algo verdadeiramente “to go”.

Atomo Coffee
Existe bife que nunca foi vaca, ovo que nunca se tornaria pintinho, e agora, café que nunca foi grão (pelo menos, não de um pé de café). A proposta da americana Atomo Coffee é fazer a bebida café sem usar um grão sequer do cafeeiro, utilizando outras matérias-primas disponíveis no agro como sementes, folhas e outros resíduos vegetais. Segundo a empresa, o aquecimento global pode afetar a oferta do grão no futuro, e uma alternativa “sintética” pode ser um dos caminhos.

Demetria
Essa startup Israelense tem usado machine learning e outras técnicas avançadas para tentar solucionar um dos pontos mais complexos do assunto café: a bebida do café. Claro, um classificador profissional sabe bem como identificar os diferentes aspectos do cupping, mas isso ainda é inacessível para muitos produtores de café mundo afora, que cultivam o grão e não sabem  direito como avaliar a qualidade do seu produto. A ideia é ter um dispositivo que avaliará a bebida de forma precisa, sem interferência humana, dando padrão e assertividade à prova do café mesmo para leigos no assunto.

Culttivo
Ser produtor é algo complexo. Por 365 dias no ano, você lida com incertezas de clima, mercado, regulamentação, e às vezes o caixa aperta. A Culttivo entende isso, e disponibiliza linhas de crédito ao produtor tendo como lastro o café depositado nos armazéns cadastrados por eles, permitindo que o cliente mantenha sua safra armazenada visando a comercialização no futuro, mas consiga capitalizar no presente. Isso de forma menos burocrática e mais transparente em relação a bancos tradicionais.

Inovar é entender seu cliente, entender as dores do mercado e trabalhar bastante para entregar um produto/serviço de qualidade.